Mais um desabafo de amor

by - 23:52



Marry You by Bruno Mars on Grooveshark


Eu queria apenas dar vazão às palavras fofas que acredito que ainda moram em algum local dentro de mim. Esperava trazê-las à superfície, escrever coisas doces e românticas como eu sempre fiz, mas que já estão em falta há um bom tempo. Não é que o romantismo tenha me abandonado, longe disso. Como eu poderia deixar de ser uma romântica clichê, se continuo vivendo e me alimentando a cada dia de um amor super doce? Não há a menor possibilidade.

Viver de amor nos deixa suspirantes. Eis um fato. Eu, que sempre me achei uma romântica desvairada, acabei descobrindo que até sou, mas não tanto como imaginei. Sou amante contida, daquelas que ama ao pé do ouvido com palavras sussurradas e olhares gritantes. Meu grito se expressa de outra forma e só uma pessoa pode ouví-lo da maneira correta.

E nesses meus gritos discretos, ando falando só de saudade. Porque quando a gente ama, depois de algum tempo só queremos sabe de amar mais e mais. E o que no começo era paixão avassaladora, vai virando vontade de quietude, de querer passar uma tarde de domingo dormindo na rede só para poder ficar perto de quem se ama. Paixão com o tempo vira amor e esse vai exigindo certas coisas que só entendemos ao viver. E a saudade vai ficando cada vez maior, porque se antes você passava a semana inteira vendo o seu amor apenas algumas vezes e não surtava com isso, com o tempo você vai querendo cada vez mais.

Com o tempo, a vontade de ficar juntos cresce, vídeos ou fotos de casamento te deixam sensível e qualquer coisa que te lembre e dê expectativas de um futuro ao lado da pessoa amada te deixa tão sensível que você só vai querer saber de juntar logo os trapos e partir para o vamos ver do relacionamento à dois.

Vem a vontade de dormir e acordar juntos, de ver a outra pessoa com cara de sono quando acorda e, mesmo com o cabelo desarrumado e a cara amassada, ter certeza de que é aquela pessoa que você quer ter ao seu lado. Vem também a vontade de fazer pequenas coisas juntos, de ver mais filmes sentados no sofá da sala, de ter uma casa só de vocês e dividir contas, planos, sonhos, tristezas e alegrias.

Com o tempo vem a vontade de crescer ao lado daquela pessoa, construir uma vida à dois. Vem a vontade de casar, trocar votos cheios de clichês e aceitar o desafio de tentar fazer tudo dar certo, de se manter ali, ao lado daquela pessoa, a sua pessoa, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, até que a morte os separe.


Perdoem o texto longo e sem nexo, mas é que as palavras gritaram com tanta força, que acabaram saindo assim, um tanto desorganizadas. É problema de quem tem muita coisa a dizer, mas não sabe como.


 Imagem: we♥it.

Você também pode gostar

5 comentários

  1. tudo assim para dizer: Eu te AMO!! sem medo de dar tudo isso que vem do coração, por saber que vai e volta, é amor de dois de longe e de perto. É amor eu te amo! amo! amo! e AMO!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Lu!

    O bom de amar é que a gente fica feliz de abraçar os maiores  clichês e não tá nem aí. 
    Quero um assim também. E espero que venha logo um casório aí cheio de fotos lindas pra gente babar e sonhar. hehe
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Ana Luísa Bussular8 de março de 2012 18:45

    Que lindo, Lu! Quero tanto saber como é sentir isso.. :(

    ResponderExcluir
  4. Muitos dizem que viver de amor trás insegurança, pra mim funciona ao contrário.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Primeira vez aqui. Seguindo!
    Gostei muito do texto.
    Beijos.

    http://pollymomentos.blogspot.com/

    ResponderExcluir