Não me ame tanto

by - 23:00


Não me ame tanto by Karina Buhr on Grooveshark


Eu queria poder te dizer que sim, que te amo da mesma forma que você me ama. Porque eu sei, eu sei que você nutre por mim um amor digno de livros, filmes ou músicas. E eu te amo, só não amo da mesma forma. Sei que isso tudo é uma merda sem proporções, mas é o que sinto. O que se há de fazer? Tenho problemas com amor demais. Me encolho, me escondo. Fujo. Toda vez que alguém me ama eu faço o favor de jogar tudo no lixo no momento exato em que saio batendo portas rumo ao infinito.

Sou vítima do desapego. E toda vez que o vínculo parece querer ficar mais forte, dou marcha ré e afundo o pé no acelerador. Não, não sei me render a olhos que clamam amor. E os seus, mais do que nunca me pedem apenas isso: amor amor amor amor amor sem limites. Não posso suportar isso. Um amor que é mais do que o que eu sinto por mim mesma não pode caber em mim. Sou pequena.

Preciso de cautela, pois se me jogar de cabeça nesse mar de amor, corro o risco de me afogar. Mas o contrário também pode acontecer. Posso aprender a nadar, gostar da aventura e querer me embriagar de uma vez. Mas entre correr o risco, prefiro levar em conta o medo de me matar em função de você. E por isso, honey, te peço: não me queira, não me espere, não me ame tanto.



 "Não me ame tanto" - tema da semana do Desafio Blogueiro.


Imagem: we♥it.

Você também pode gostar

12 comentários

  1. Como sempre! otimo texto amor!
    te amo!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, vi uma parte do meu passado nesse texto. Já fui assim, de fugir para me proteger e as vezes machuca mais do que entregar os sentimentos.

    Beijos.
    Te sigo.

    ResponderExcluir
  3. Lu, gostei do texto. =D
    Queria começar a participar desse desafio também, mas não tenho Face. =/

    ResponderExcluir
  4. "...te peço: não me queira, não me espere, não me ame tanto."

    Eis uma frase dita por poucos!

    Belo texto

    ResponderExcluir
  5. Que lindo!
    E olha que já fui assim...medo de quem me amava.
    Que bom que a gente cresce e evolui ;)

    Beijo, Lu!

    ResponderExcluir
  6. Fugir e desapegar-se parece ser tão mais fácil às vezes...

    ResponderExcluir
  7. AFF, pra você também viu LULU!
    Que isso, onde vocês pescam tanto talento?
    Que fonte é essa?

    Ficou tão lindo, sincero e real sabe?
    Tão eu ali nas suas linhas.
    Vi meu início de namoro, minha cautela, meu receio ali com tanto amor que me era dado.

    Ternura pura!
    beijos

    ResponderExcluir
  8. O difícil é nos convencermos de que o "amor próprio" deve ser maior que o "amor de nós dois", principalmente, quando demoramos muito tempo a achar alguém ideal e, no fim das contas, ele não é o imaginávamos. Complicado, mas necessário!


    ;*

    ResponderExcluir
  9. Gêmea, me identifiquei tanto que tu nem imagina.
    Já acreditei tanto que eu não poderia ser amada, que não merecia. Ainda existem vestígios disso, mas nem perto de como era.

    Maravilhoso esse texto.
    Beijo ;*

    ResponderExcluir
  10. Ficou denso, Lu... foi a primeira palavra que consegui pensar. Tu tem um jeito arretado de escrever, intimista, sincero. Faz todas as linhas parecerem verdadeiras. Mata a pau!

    Beijo, guria!

    ResponderExcluir
  11. Tira o pé do chão, Lulis!
    Adorei, apesar de denso, como disse o Antônio.

    Beijcas

    ResponderExcluir