Pegando fogo

13 de novembro de 2013 //


Ontem tive um sonho maluco. Na verdade, se olhar bem o conteúdo dele, posso dizer com toda certeza que foi um pesadelo. Geralmente, não costumo lembrar dos meus sonhos, mas esse acabou se mostrando bem forte. Não sei se foi pelo nível de "tosquice" ou pelo impacto do acontecimento, só sei que resolvi vir contar o que aconteceu. Afinal de contas, esse pode ser o medo de algum leitor e, inclusive, já vi até meme e matéria sobre isso. Enfim, vamos ao meu terror noturno.

Antes de  tudo, preciso falar para vocês alguns detalhes importantes sobre a minha casa e o meu quarto. Meu quarto fica no primeiro andar da minha casa e tem uma janela enorme na frente, que dá vista para o quintal e a rua. Um detalhe adicional é que em uma parte do primeiro andar, o piso é de madeira e isso inclui o meu quarto. Outro detalhe é que na calçada de casa tem uma árvore. A prefeitura do Recife tem mania de deixar árvores nas calçadas e impedir que os donos cortem elas. Sendo assim, temos uma árvore bem grandinha na calçada. Pois bem, vamos ao sonho.

Por algum motivo irracional que não lembro agora, havia um incêndio na rua e que acabava atingindo a minha casa por causa da árvore da calçada. Como ela é alta, o fogaréu digno de Hollywood (imaginem aquela cena de Batman - O Cavaleiro das Trevas, na qual o Coringa explode o hospital e talicoisa... era fogo no nível Christopher Nolan, vejam bem) chegava miticamente até o meu quarto e eu, louca só sabia gritar "MEUS LIVROS, MEUS LIVROS, MEUS LIVROOOOOSSSSS!". Enquanto isso, minha mãe, que é a voz da sanidade, me puxava pelo braço para que eu fosse na direção contrária ao fogo e, lógico, salvasse a minha vida. O que ela não entendia é que a minha vida inclui os meus livros, logo, eu precisava salvá-los!

Pois bem. Algum tempo depois, quando o fogo misteriosamente sumia - reparem, não falei de bombeiros - nós entrávamos novamente na casa - que estava inteira! Qual a probabilidade? - para ver os danos.  Eu corria para o meu quarto, já me preparando psicologicamente para a cena de guerra que iria encontrar. Porém, ao chegar lá, a surpresa foi boa. O fogo não tinha atingido o quarto por um motivo lindo: a janela estava fechada! Gente, vejam bem, vocês entenderam a falta de noção da coisa? Mas enfim, eu ficava alegre e saltitante porque os meus filhos se salvaram! E daí, no meio da comemoração, fui acordada e o encanto acabou. Simples assim.

Ao longo do dia pensei: nossa, e se um dia eu precisasse escolher livros para salvar, o que eu faria?! Reparem na complexidade da situação. Eu não sei! Tenho algumas ideias, na verdade, mas seria tenso salvar só o que coubesse nas mãos. Não daria para levar a minha coleção de Freud e nem todos os livros do Rick Riordan do namorado que estão comigo. Também não conseguiria salvar os Calvin e nem os meus livros do John Green. Pegaria só os preferidos? Ou tentaria salvar os mais caros e, consequentemente, os mais difíceis de comprar depois? É bom começar a pensar desde já, porque se for para escolher sob pressão, não vou conseguir decidir.

A matéria que falei no começo do texto foi publicada na Revista 21 e fala sobre o projeto The Burning House. Ele não se restringe a livros, mas tudo bem.

3 comentários:

  1. Nossa Lu que sonho chato , eu iria ficar louca e triste se visse meus livros pegando fogo, e meu guarda roupa também :)

    ResponderExcluir
  2. Luciana da Silvasauro de Brito Alencar Tiêta do Agreste Amado Batista -porque estava com saudade de dar nomes aos bois, ops, àzamigalindadonordeste - eu vou te dar uma matadinha de leve, porque eu nunca havia pensado numa possibilidade dessas. Oo
    Agora ficarei forever matutando se algum dia eu precisasse salvar os livros - além de mim, marido e Macgyver- quais escolheria.
    Sorte que os meus ficam no guarda-roupas, ao lado da janela. Se o fogo viesse de dentro de casa, daria pra jogar tudo pela janela. Talvez os que não li primeiro, por ficarem na pilha da frente.
    Jogaria umas roupas tbm, pra amortecer a queda- e claro, vestir depois - e jogaria os de arquitetura que são caros e pesados.
    Agora, se o fogo viesse da rua, meldels. Eu teria que descer escadas com as mãos cheias. Oo
    Acho que vou providenciar já uma mala e deixar tudo lá dentro, para o caso de uma emergência, nunca se sabe né. ahahhahahahhahaha

    Beijoca no nariz!:*

    ResponderExcluir
  3. Nossa, e eu aqui achando que era a única a entrar em desespero quando penso no que eu salvaria durante um incêndio (agora, parando para pensar, é um pouco estranha eu passar tanto tempo me dedicando a responder essa pergunta)
    Adorei o texto, me identifiquei na hora haha

    Beijo ;)

    ResponderExcluir