Quem é você, Alasca?

26 de julho de 2013 //

Nunca consegui escrever sobre ACEDE. Por ter mexido demais comigo, creio eu, não consegui ainda transformar em palavras o que senti ao ler esse livro. Só sei que é lindo e me fez ter uma enorme curiosidade em relação ao seu autor, o John Green. Curiosidade essa que me levou a ler também OTK, que até falei sobre ele aqui. Só que a curiosidade não parou aí e eu precisava enlouquecidamente ler o livro dele que o mundo inteiro insistia em dizer que era lindo e talicoisa, o "Quem é Você, Alasca?".

No começo, o problema era um só: encontrar o bendito em alguma livraria/sebo. Estava esgotado e eu só poderia lamentar e esperar alguma alma caridosa da editora resolver publicar uma nova edição. Depois que a editora fez isso, o problema se transformou e passou a ser financeiro, pois o livro era caro demais para o meu humilde bolso que se nega a pagar R$ 40 em um livro. Resumindo o babado todo: namorado lindo e maravilhoso me deu QEVA de presente de aniversário e eu quase choro de emoção. Eu finalmente tinha o meu terceiro João Verde, pronto para ser devorado. E assim foi. Tirando as pausas, li o livro todo em um dia.

QEVA é dividido em duas partes - antes e depois - e conta a história de Miles Halter, um adolescente apaixonado por últimas palavras e que resolve sair de casa para ir à escola preparatória de Culver Creek. Ele justifica essa ida com as últimas palavras de  François Rabelais “Saio em busca de um Grande Talvez”. Resumindo, é a partir da sua chegada na escola que vamos conhecer os seus amigos - Coronel é um deles e o mais marcante! - e mergulhar na atmosfera adolescente na qual vivem os personagens. A mais intrigante de todas, com certeza, é Alasca. Ela é descolada, louca por livros e completamente instável. É uma graça como ela muda tão rápido!

Não vou falar muito da história para evitar spoilers, mas quem quiser, pode ler a resenha que fiz lá na Revista 21. Mas enfim, voltando. Eu achei o livro sensível e, como já é de se esperar do John Green, bem reflexivo. Essa coisa das últimas palavras, do Grande Talvez e do labirinto deixam a gente pensando várias coisas sobre a vida. Além disso, é na segunda parte do livro que as coisas acontecem.

Os leitores mais rígidos podem achar o livro sem graça em relação a ACEDE, mas é importante lembrar que esse foi o primeiro romance do autor. Em todo caso, esse é mais uma obra que eu tenho o prazer de indicar para os amigos e dizer "vai com tudo que o livro é ótimo!". Foi o que eu achei, foi o que eu senti. Dei cinco estrelas no Skoob com todo gosto e, se pudesse, daria mais.

E agora, depois desse, a saga continua e em breve espero ler os outros livros do John. Will & Will (nome horrendo, diga-se de passagem) já foi publicado pela Intrínseca e em breve Cidades de Papel também será lançado. Agora é só esperar.

Meus três amores e uma tentativa tosca de fazer bokeh.

8 comentários:

  1. Sabe que até mudei de ideia sobre OTK? Agora só acho meio lento até algo acontecer de fato, mas o final até me emocionou hihihi.

    Agora, sobre "Quem é Você, Alasca?" nem tenho muito o que dizer. Livro da minha vida, apenas.


    <3333333

    ResponderExcluir
  2. Muita gente tinha me falado que QEVA não valia muito a pena, mas como o John Green já havia me impressionado em dois livros, não custava nada conhecer um terceiro... e disso não me arrependo nem um pouco!!!
    Devorei o livro também, em um dia, e nem vi o tempo passar! Estou super ansiosa para ler mais e mergulhar nas reflexões e nos sentimentos que ele consegue transmitir! *-*

    ResponderExcluir
  3. Primeiro qria dizer que adorei o blog, super lindo e fácil dizer.

    Segundo, apenas que <3 A Culpa é das Estrelas <3 John Green

    www.jackfact.org

    ResponderExcluir
  4. Preciso ler este livro! Já li "A culpa é das estrelas" e gostei muito, embora eu tenho esperado mais, depois de ouvir falar tanto do livro, rs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Amo ler suas resnhas sobre livros já estou com vontade de ler todos =)

    ResponderExcluir
  6. Aaaai, que lindo. AMO Alaska ♥ De verdade, é muito fofo. Will Grayson, Will Grayson é legal, eu curti também, mas Paper Towns me emocionou pacas. Se vc amou Alaska, vai amar Paper Towns ♥♥♥

    Beijos!

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir