Keep calm it's almost 2012

by - 10:52


Para você que veio aqui pensando em encontrar mais um texto romântico ou qualquer coisa do gênero, não se empolgue. Esse é mais um texto sobre o final do ano. Ou seja, clichês e reclamações poderão ser e serão encontradas. E como estou em uma vibe mais deprimida do que eufórica, não esperem mesmo grandes coisas. Porém, posso lhes adiantar que isso não é uma retrospectiva, pois já basta ter que aturar a da Globo todo ano. Enfim...

O que não falta é gente falando que 2011 foi um ano porcaria e eu estou dentro dessa parcela da população. Porque olha, 2011 foi uma shit! Nunca vi uma zica tão grande na minha vida! Não estou com vontade de listar as tragédias desse ano, mas posso garantir que teve praticamente de tudo. Me isolei mais ainda do mundo, e olhe que nunca fui das mais enturmadas na sociedade. Passei mais tempo invisível para a maioria dos meus amigos, diz o MSN. E também me senti bem mais "deprimida" esse ano. Sim, e não tenho vergonha disso, afinal de contas, também nunca fui das pessoas mais eufóricas.

2011 foi o meu último ano na faculdade e isso, até hoje, tem me dado dor de cabeça. Tudo bem, foi uma conquista sim, é claro. BUT, a ideia de finalmente me tornar uma adulta (oown!) e ter que me jogar no mundo não tem me dado tanta empolgação assim. Sou filhinha da mamãe, gente, e agora? Passei um ano estagiando na clínica da faculdade e olhe, isso foi algo estressante, pois em alguns momentos me senti a pessoa mais frustrada da terra. Não fiz o estágio que queria por 'n' motivos e me conformei com o tédio de passar quase o ano inteiro sem fazer NENHUM! atendimento. Meus clientes lindos só resolveram aparecer em meados de setembro/outubro e só aí comecei uma psicoterapia breve de verdade. Apesar disso, valeu a pena. Valeu tanto que quase não consigo encerrar o processo com um dos meus clientes, de tanto que gostei de atendê-lo.

Ainda no capítulo faculdade, existiu a maldita linda monografia, que teve o tema da agressividade infantil e quase me matou de stress nos 45 minutos do segundo tempo. Mas
passou, entreguei e ainda não sei minha nota, fazer o quê.

Entre as coisas boas desse ano, meu namorado tem que ser colocado nesse pacote, pois olha, nunca vi um ser humano tão paciente. Gente, não sou uma pessoa fácil de se conviver, mas o bichinho me atura todo santo dia e ainda diz que ama. Não é lindo? É sim, e é meu, vejam só. Outra coisa boa do ano foi meu filho, o Joaquim. Calma, não fiquei grávida e esqueci de contar a vocês. Joaquim é meu baby labrador que já está com quase um ano e me deu muita alegria esse ano.

Ok, eu sei que vocês já cansaram de ler isso. Mas calma, está terminando.

Bem, 2011 ainda não acabou e promete ter fortes emoções até o final, porque olha, ainda está acontecendo coisa boa e ruim em dezembro também. Realizei um sonho e comprei uma câmera com o MEU dinheiro, porém, ela quebrou depois de 15 dias e agora está em São Paulo sendo avaliada. Fiz uma seleção de estágio para o ano que vem e jurava que ia dar certo, porém, não deu. Entretanto, passei o natal com o meu amor, ganhei presente fofo e vou passar o réveillon com ele novamente. Pronto, preciso encerrar o ano com alguma coisa boa que é pra ver se a zica fica aqui e 2012 venha para ser um pouco mais carinhoso comigo, porque olha, não tá fácil pra ninguém.


Você também pode gostar

2 comentários

  1. E que seja feito de carinho, cheio de coisas novas, com muito abraço apertado e beijos doces. 2012 vem com muito do nosso amor!.

    Ps: viver essa vida contigo é otimo amor! Te amo!

    ResponderExcluir
  2. Já já melhora, fia. Já já.
    (É. Eu sou aquela sagitariana otimista chata pra caralho.)
    =* 

    ResponderExcluir