Asas Quebradas

31 de dezembro de 2008 //


Asas Quebradas


Com as asas quebradas
Estou caído no chão
Minha pele queima debaixo do sol forte
Lágrimas azedas escorrem pelo meu rosto
E ninguém parece me ver.

Ergo as mãos aos céus
E o brilho de meus anéis ofusca minha visão
Quase vivo ainda estou
Enquanto os mortos caminham
Na rua em que estou no chão.

No local de onde caí, havia silêncio
Branco, frio e sereno.
No local onde caí, há solidão
Cinza, úmida e mansa.

Mil maneiras de viver com as asas quebradas
Ergo-me do asfalto onde havia caído
Faixas pressionam e aquecem meu corpo
E flores agora estão
No local onde antes havia minha solidão.

- Luciana Brito -

* Poema escrito em 29/12/08

2 comentários:

  1. Se até pra alma "quebrada" tem jeito...asas serão bem mais faceis...logo vc vai voltar a voar...com asas "novas"...as vezes é necessario pra trazer " penas" novas pra nossa vida....bjoksss

    ResponderExcluir
  2. Bem vim desejar a voce um excelente 2009 e que esse novo ano que começa sirva pra fazer tudo o que não fez no que passou, realizar todos seus sonhos, renovar sua fé na vida e nas pessoas, renovar suas esperanças, que vc busque tudo o que sempre adiou nesse que se passou...muita saude...e acima de tudo vontade....muita vontade....paz e felicidades......Feliz ano novo

    ResponderExcluir