Chuva

19 de agosto de 2008 //

Queria que a chuva lavasse minha alma, levasse o peso de minhas costas e me deixasse mais leve.
Que suas gotas ao tocarem meu corpo fizessem sair o tom acinzentado de minha alma e trouxesse um pouco de luz para mim.
Um pouco da luz que muitos tem e que torna suas vidas mais simples de serem vividas apesar de todas as dificuldades que aparecem no caminho.
Essa mesma chuva que faz brotar plantações, queria que fizesse brotar em mim um pouco de alegria, a alegria que parece tão distante de mim.
Que o dilúvio vindo das pesadas nuvens do céu levasse consigo ladeira abaixo esse sentimento de inércia que toma conta de mim e provoca uma angústia de viver nesse mundo insano.
Gostaria que essas pequenas gotas cristalinas diluíssem a tempestade do meu ser e fizessem acontecer um momento mágico e prometido que iluminaria um pouco do que penso ser.
Chuva em um dia de sol ou em noite de lua branca no céu... A chuva que tirasse de mim algo que não sei o que é.


"Que a chuva caia como uma luva
Um dilúvio um delírio
Que a chuva traga alívio imediato
Que a noite caia de repente, caia
Tão demente quanto um raio
Que a noite traga alívio imediato"

("Alívio imediato" - Engenheiros do Hawaii)

2 comentários:

  1. É Lu. Quem procura, encontra; quem bate, a porta é aberta; quem pede, é concedido. Que o anseio pela libertação da pressão venha do mais profundo do seu âmago!

    “A ti acontecerá como acreditaste!”

    ResponderExcluir
  2. para quem busca a solidão é mais temida que palavrao dentro de casa.

    Foi replica não estranhe. Eu não sou tao boa assim.

    ResponderExcluir