Se você vier

10 de fevereiro de 2015 //
Créditos: Giola Cabri

Ontem o dia teve um clima meio maluco, com chuva, calor dos infernos, chuva discreta, calor e chuva de novo, só para molhar o chão e me fazer espirrar. Claro que o objetivo não foi esse, mas espirrei e minha rinite não agradeceu. Enfim. No domingo nós brigamos. E às vezes eu acho que a gente briga demais, mas depois penso que isso é coisa de casal e que ainda estamos nos acertando e adaptando a isso que somos "nós". Eu odeio brigar com você, sabe? Mas depois, quando nos acertamos e fica tudo bem, percebo que foi produtivo e tiramos algo daquilo tudo. Então tudo bem se o saldo é positivo. Só que ontem não nos vimos e não teve abraço, cafuné ou cara de brigadeiro para fechar o pacote do tudo bem. Mas apesar disso, tu cuidou de mim, me fez companhia na aula depressiva e na falta de sono que eu tenho todo dia. Te ouvir cantar enquanto tocava violão baixinho para não acordar ninguém e todo tímido consertou tudo. E mesmo que as coisas estejam dando errado e tudo esteja bagunçado, existe algo que consola, que alivia o peso. Viver essas coisas contigo tem sido uma grande novidade, assim como tudo o que fazemos. E se estamos juntos, ultrapassando cada obstáculo que aparece, estamos indo bem e vamos chegar onde queremos chegar.

"Pro que der e vier
Comigo
Eu lhe prometo o sol
Se hoje o sol sair
Ou a chuva
Se a chuva cair"

[Geraldo Azevedo]

1 comentários:

  1. as brigas tem o costume de trazer a urgencia dos abraços..gostei muito do texto :)

    ResponderExcluir