Justamente isso

by - 13:45


"Porque amor é justamente isso, é ficar inseguro, é ter aquele medo de perder a pessoa todo dia, é ter medo de se perder todo dia. É você se ver mergulhado, enredado, em algo que você não tem mais controle."
- Fabrício Carpinejar


Amor é um bicho estranho. É algo que começa bagunçando o estômago, trazendo sintomas que mais parecem doença, mas que nos deixam viciado. Amor é droga. Substância líquida que nos deixa loucos de felicidade, de tristeza, de saudade, de preocupação, de tudo o que você imaginar. Amor é céu e inferno. Lugar comum, paraíso de poucos e sonhado por muitos. Amor é confusão. Agonia por se misturar ao outro como se ele fosse parte de nós mesmo, um corpo estranho dentro de nós, mas que não queremos tirar de lá. Recusamos à solidão da individualidade, depois de descobrir a solidão à dois. Amor é não entender, mas tentar. Descobrir o que o outro pensa, tentar transmitir o que nós pensamos e chegar a um acordo. Ajustes constantes. Amor é mecânica. Consertar defeitos, aprimorar qualidades e potencializar o que pode vir a ser. Amor é planejamento. Mapas, planilhas, gráficos. É calcular todo dia os ganhos, as perdas, o que pode ser e o que nunca vai poder. Amor é silêncio. Comunicação não verbal, compreensão dos sinais que aparecem naquele brilho diferente do olhar. Amor é transtorno psiquiátrico. Bipolaridade de odiar o outro por quase um segundo, mas depois amar mais do que antes. Amor é insegurança. Pelo medo de perder, pelo medo do fracasso, pelo medo de perder o controle e ser levado a algum ponto sem volta. Amor é pressa, é saudade diária, é aquela mágoa bandida, é felicidade clandestina. Amor é o oposto do cansaço, é transformação diária, compreensão, oposto. Volta ao começo, recomeço.


Você também pode gostar

8 comentários

  1. Luu, q saudades de suas palavras, muito!Sabe amor é algo que apenas se sente, e preciso admitir que as vezes cansa =s
    Vi seu post anterior sobre um livro, fiquei curiosa para adquiri-lo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super recomendo o livro, Mila. Tenta falar com a Jaya pelo facebook dela. :)

      Excluir
  2. Tipo isso.. e muito mais.
    Aaaah, o amoooor.. ^^

    Beijos, Lu!

    ResponderExcluir
  3. O amor é isso e muito mais. Lindo esse post, viu, dona Luciana? ;)
    Pirei quando li "Felicidade Clandestina". Clarice ♥, né? Enfim... piro quando leio algo que faz referência a ela, ainda que indiretamente e/ou inconscientemente.

    Um abraço, blogueira de ELITE <3.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  4. Acho que exatamente por ser tudo isso e muito mais que todos nós precisamos e gostamos tanto de amar e ser amado *-*
    beijos
    Blog: Reenoceronte

    ResponderExcluir
  5. Amor é, e melhor que seja, sempre no presente. No passado pode ser outra coisa e no futuro, pode não ser nada.
    Eu gosto das suas definições para esse tema mas desafio: E se não for? E se esse amor todo se definir na mais plena indefinição, no improvável, no incoerente?

    Mas, em termos de letras concretas e pensamentos afinados, sua versão está em plena forma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As definições de amor são variáveis, assim como suas formas de se apresentar e de ser sentido. Para mim, amor é isso tudo e mais um pouco.

      Excluir
  6. O amor e suas definições e significados podem variar, mas quando se é sentido assim, na pele, é porque é o mesmo sentimento, aquele universal.
    E que texto mais gosto Lululinda! Tem uma musicalidade aí nas linhas - entre as linhas - que fez eu ler e reler várias vezes.
    Amor é amizade também, e ainda bem. ♡ ♡ ♡

    ResponderExcluir