500 posts atrás

by - 20:09


Eu criei um blog. Era abril de 2008 e eu, sem nada para fazer, resolvi começar o Caixa Preta - que nessa época, tinha um nome que eu não consigo lembrar, recalquei - de um jeito meio, adaptando os dizeres do Caio F. Abreu, meio às cegas, às tontas, do jeito talvez torto que sabia fazer na época. E hoje eu estava lembrando disso em um momento nostálgico, após ler um texto sobre como era a blogosfera antigamente.

Relembrar isso foi legal, pois é interessante ver a transformação de algumas coisas. Lembro que, no começo, fiz do blog um pequeno diário e que só depois de algum tempo é que me arrisquei a escrever "de verdade". Além disso, e acho que é o mais marcante para mim, lembro de como era legal passar horas procurando o template ideal e viver trocando por enjoar rápido demais. Sem falar, é claro, na capacidade que muitos blogueiros tinham que desenvolver para aprender a fazer os próprios layouts. Porque se você quisesse ser legal, tinha que ser original. Eu fui filha dessa geração, vocês bem podem notar.

Naquele tempo, as pessoas não viviam atrás de seguidores e curtidas. E era difícil encontrar gente dizendo "retribuo seguidores" ou "que blog lindo, estou seguindo! Me segue de volta?". Era tudo na raça! Ou você escrevia bem, ou viveria no limbo dos blogs, esquecido e sem um mísero comentário. As pessoas pareciam blogar com mais sentimento, com mais pessoalidade e era isso que tornava os blogs legais. Não existia essa chuva de blogs temáticos e boa parte deles envolvia diários, crônicas ou poemas.

E como as pessoas eram mais legais naqueles tempos! Era raridade algum blogueiro lançar livro e ficar famoso então, era quase milagre. Ou seja, a impressão é de que as pessoas escreviam para sobreviver, praticamente. Uma sobrevivência subjetiva, delicada.

Hoje, exatamente 500 posts depois do início desse humilde blog, sinto saudade da blogosfera de antigamente e é por isso que acompanho poucos blogs. A maioria dos que eu acompanhava foram extintos e os poucos que restam, são atualizados raramente. Fora eles, os novos que descobri, são de heróis da resistência ou de gente antiga como eu. Quanto ao meu, tento mantê-lo longe dessa atualidade toda. Claro que não vou deixar o Caixa Preta virar um museu, mas acho que não precisamos aderir a todas as modas que aparecem. Enfim, só queria mesmo era dizer que blogosfera boa é a blogosfera velha. E sendo parte dela, preciso dizer: sinto orgulhinho de ser da velha guarda.


Você também pode gostar

11 comentários

  1. Eu não tinha blog nesse tempo, mas, eu que era só "visitadora assídua" da blogosfera percebo as diferenças. Hoje em dia as pessoas nem leem realmente seu texto, comentam aleatoriedades só pra ser visitado tbm e pá...claro que ainda tem aqueles blogs amigos qe respeitam o que a gente escreve e vão ali pelo prazer de ler um pouco de nós. É incrível a quantidade de bons blogs que estão no "limbo" pq não ficam piegas atrás de seguidores e talz... ah, tô falando demais hahaha. Luh, tu não vai acreditar, já tô querendo outro layout... mas o pessoal gostou tanto daquele que eu tô com medo de perder a "identidade"... sei lá... vou esperar só mais um pouquinho, mas vá se preparando psicologicamente para meu "aperreamento" hihi. Beijinhos! Sou fã do caixa preta e do seu "talicoisa" haha. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. Eu sou da época q era orgulho receber um selinho, todo mundo ficava na loucura pra receber um e n tinha isso de "Blog lindo, segue de volta?".
    Adorei o texto!
    Sou estudante de psi e me formo no ano q vem ^^

    ResponderExcluir
  3. Não sou parte dessa época, nem me ligava em layouts. Só escrevia como ddiário até que conheci blogs legais como o seu e tentei ser gente e escrever igual gente. hahahahaha

    Parabéns Lulu, que venham 500, e 500 e 500 mais.

    ResponderExcluir
  4. Eu meio que comecei na transição, a gente nem sente às vezes que a blogosfera mudou, mas quando para pra pensar... Dá até um susto!
    Visitei muito aqueles blogs-luv.zip.net, e foi com eles e esses templates (particularmente um do Jack Sparrow) que eu aprendi o pouco que sei de códigos e tudo mais. Hoje virou uma paixão, namoro um programador e às vezes falo mais das coisas dele que ele mesmo! haha
    Nunca fui famosa na blogosfera, sou das observadoras e tal. Mas nossa, que saudade que dá <3

    ResponderExcluir
  5. Tenho só 20 anos mas fiz parte dessa fase da blogosfera. E me distanciei um pouco recentemente justamente por causa dos novos blogueiros, que fazem de tudo por um comentário, um seguidor no twitter, um like no facebook.
    Mas enfim, vou tentar voltar e ver no que vai dar. E ler um post desse logo agora que to voltando, bate uma saudade! hahahaha

    abraços!

    Elektry.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. Tenho blog desde 2005. No início era tão diário que a única coisa diferente mesmo era que eu fazia meus layouts (um a cada post praticamente de tanto que eu enjoava rápido! haha). E era tudo muito legal. Hoje fico feliz de encontrar tantos blogs "das antigas" e seguir algumas pessoas que seguia antes; é bom ver todo mundo sentindo falta de menos modismo e mais amor pelos blogs.
    Beijos

    Blog: Reenoceronte

    ResponderExcluir
  7. Muito bom e nostálgico o post.
    Eu tb sou da velha guarda. Muito, muito antes de criar blog literário, até mesmo muito antes de existirem os blogs literários (e as parcerias com editoras), eu tb era uma blogueira assídua, com meu diário virtual. E era tão bom simplesmente postar pq vc tinha vontade de falar algo aleatório e conhecer pessoas que tinham as mesmas ideias que vc, tudo muito inocente e sem interesse.

    Tb fui dessas que precisou aprender a fazer layouts, que adorava colocar a barra de rolagem colorida, os links com diferentes efeitos, o botão do mouse personalizado... rs
    Sou da época em que o "101 coisas" foi criado, na época era a sensação (e eu nunca consegui fazer nem metade da lista rs).

    Ah, saudade...

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  8. Como sou "nova" na blogsfera - meu blog tem 2 anos - não posso falar nada sobre os áureos e românticos tempos do começo dos blogs... Mesmo assim, tendo decidido ter um blog só para ter um espaço para escrever e dividir dicas, entendo seu desânimo com a "mercantilização" de muitos por aí.
    Seu blog, de todo jeito, é uma delícia de ler!

    ResponderExcluir
  9. Me enxerguei em diversas frases do teu post 500, Lu. Aliás, parabéns pela marca expressiva! Já alcancei a minha há tanto tempo, e mesmo assim ainda não cheguei a 600, de modo que estou entre estes blogueiros que atualmente escrevem pouco, bem pouco.
    Ainda assim, também sou velha guarda. Nunca fui famoso, meu livro foi uma teimosia, sempre tive poucos comentários e, sim, sou um blogueiro forjado na raça!
    O que me deixa realmente feliz nisso tudo é ter encontrado amizades verdadeiras como a tua, que estão acima da blogosfera e atingiram o status de indispensáveis. Isso, realmente, não tem preço.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  10. Tem um selinho pra você lá no meu blog!
    http://aluzdamadrugada.blogspot.com.br/2013/08/selinhos.html
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Lu, sou da velha guarda também, escrevo desde 2005 e muito do que tu fala eu entendo perfeitamente. Antigamente havia uma relação mais íntegra e próxima. Sinto que hoje estão muito superficiais, enquanto que antes era um encontro mais pautado num desejo sincero de encontrar pensamentos semelhantes ou amizades verdadeiros. Escrever era uma libertação, era tudo feito na raça. Eu nunca mexi direito com html, e antigamente o blogger não tinha a facilidade de hoje. Nossa, ralei semanas para mudar o layout padrão. Hoje eu ainda mudo, mas tem pouco esforço, com tanta coisa pronta e fácil.

    Era legal mesmo. Criava-se amizades de verdade. Não digo que hoje seja impossível encontrar pessoas como antes e dedicadas à escrita tanto quanto ao coração, mas hoje há um acúmulo de blogs que escrevem por escrever, pessoas que não tem aquela magia de antes. Eu já acompanhei muitos blogs, mas hoje acompanho poucos também. Justamente por isso, ou acabaram ou as pessoas postam pouco. Você é uma das pessoas que conheço há bastante tempo, embora minha presença aqui seja pouca, eu gosto da sua escrita. Você mantém a essência de sempre.

    Me sinto ainda dessa velha guarda, e ainda escrevo pra sobreviver, para acariciar e dar uma leveza ao meu coração. Não consigo me afastar tanto, nem dar pausar longas. Ainda posto com frequência, não pela moda, mas por mim, pela minha necessidade de desaguar as dores. Porque respeito minha condição de ser humano e meu desejo de ficar bem, como sempre foi desde sempre. Meu site/blog ainda é um diário de mim, um lugar onde ainda escrevo meu olhar sobre o mundo e as pessoas, ou mesmo contos com mensagens. Não mudei meu jeito. Minha escrita melhorou, mas meus cabelos continuam o mesmo rs. Não há tantos comentários quanto antes, mas hoje sei que os poucos são verdadeiros. Enfim. Como disse Antônio, também sou forjado na raça.

    Estou lançando um livro agora, e isto tem me deixado feliz. Mas só saiu pelas oportunidades, pelo incentivo e por eu querer demais.

    Belo post Lu.

    Beijo!!

    ResponderExcluir