Não sei me desapegar

by - 22:13


 Posso até me acostumar...
[Marcelo Camelo]


Queria muito poder te dar o que você está precisando no momento. Aquela palavra amena, um "tudo bem" sem fazer bico ou olhar para o outro lado. Queria simplesmente dar tchau, esperar você voltar e te receber de braços abertos quando isso acontecesse. Eu queria. Muito. Mas não sei fazer isso. Não sei mais ficar sozinha, apesar de passar os dias assim. Na verdade, não sei mais ficar sem ter você respirando o ar da mesma cidade que eu, entende? É uma coisa estúpida, loucura total, mas é assim que me sinto.

Não gosto da ideia. E luto contra ela do meu jeito, com caretas e chateações. Mas eu também entendo que é necessário, que é por uma ótima causa e mais um monte de coisa. Entendo. Aceito. Deixo. Fico feliz sem estar realmente feliz. Só que você tem que entender o meu lado completamente egoísta. Me acostumei com as coisas como estão e não sei mais dividir você. Não quero.

Isso deve ser mal de filho único. É a única explicação coerente com essa minha loucura. Filhos únicos querem tudo para si, não sabem dividir e ficam chateados quando precisam fazer isso. E na minha mentalidade um tanto infantil, teimo em agir assim mesmo sem querer. Mesmo sabendo que é errado e que não faz sentido. Mas eu posso ao menos admitir isso? Mesmo que eu seja julgada por meio mundo e criticada? Eu tenho que admitir. Preciso falar que o meu problema é só um: não sei me desapegar.




Imagem: we♥it.

Você também pode gostar

5 comentários

  1. Nunca mais vai se desapegar amore, para todos os dias lembra, Te amo!

    ResponderExcluir
  2. Desapegar é difícil mesmo Lu, mas é necessário e saudável, acredite.
    A gente sofre com a saudade, mas o reencontro também é gostoso.
    Entendo você! Se cuida, e não fica botando minhocas na cabeça. hehehe
    Beijão. Nana.

    ResponderExcluir
  3. Muitos sofrem do mesmo mal. O desapego deve ser uma arte, espécie de virtude para poucos. Mas acreditoq ue venha com o amadurecimento de diferentes relacionamentos. Só crescendo, só aceitando a rejeição ou distância. Só sendo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Eu também não sei me desapegar e se isso é mal de filho único então esta explicado, não sou filha única mas é como se eu fosse, minha irmã casou eu tinha quatro anos e mora em outra cidade.
    Mas chega um momento da vida que por mais difícil que seja somos obrigadas a desapegar por mais que doa.
    Adorei o texto!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Luciana,

    é mal de filho único, não. Tô aqui e posso te confirmar.

    Mas é difícil, mesmo, ver o que um dia foi nosso não mais sê-lo. A gente quer de volta, quer pra si.

    Será que um dia a gente aprende?

    Um beijo!

    ResponderExcluir