Uma dramédia chamada vida

11 de dezembro de 2012 //


Domingo é dia de assistir televisão com o namorado. E além do sacros episódios de Dexter, dessa vez resolvi escolher um filme qualquer para assistirmos. Foi assim que cheguei ao filme Cinco Anos de Noivado (The Five-Year Engagement, 2012) - trailer aqui. Antes de escolher um filme, geralmente leio os comentários sobre ele no Filmow e no caso desse, resolvi fazer o download apesar de algumas críticas negativas. Mas enfim.





Violet (Emily Blunt) e Tom (Jason Segel) vivem uma linda história de amor. O único detalhe é que eles nunca conseguem marcar o dia do casamento. Se numa hora eles marcam, alguma coisa acontece e a cerimônia precisa ser adiada. Com isso, já se vão mais de quatro anos de noivado e a famí­lia não para de cobrar uma solução para o enlace dos dois pombinhos. Perto de completar cinco anos, tudo está certo para o tão aguardado casamento e agora nada mais pode dar errado. Nada mesmo?






A sinopse prometia apenas mais uma comédia romântica com uma história atrapalhada e provavelmente hilariante. Porém, o que vemos ao assistir o filme é um misto de comédia, drama e romance. Cinco Anos de Noivado retrata um pouco da vida de Violet e Tom, mostrando o hilário e atrapalhado pedido de casamento que ele fez, e também os cinco anos seguintes. Vemos a vida deles mudar, as escolhas que cada um deles toma e, junto com isso, o drama deles em relação ao casamento, sempre adiado.

Para mim, o interessante desse filme fica na mensagem que ele quer passar. Vemos que em um relacionamento (e na vida de um modo geral), sempre precisamos abrir mão de certas coisas. Porém, é importante sabermos escolher, definir prioridades para saber o que devemos adiar e abandonar. É aquele velho clichê de que sempre precisamos escolher algo. Aí surge a questão chave do filme: os problemas. Vivemos sempre buscando e esperando que nossos problemas se resolvam para que possamos seguir adiante e realizar aquele sonho ou projeto tão desejado. Porém, nem sempre as coisas se resolvem completamente. Na verdade, elas nunca se resolvem.

Você provavelmente nunca chegará em um dia no qual não haverá nenhum problema. Para mim, isso é utópico demais. Os problemas sempre existirão, só precisamos saber lidar com eles. E isso vai além de escolher prioridades. Temos que lidar com várias coisas ao mesmo tempo e isso é complicado, mas necessário. Enquanto você espera tudo se resolver e as coisas melhorarem, pode acabar como Violet e Tom, com um casamento adiado sabe-se lá até quando. E nisso o mundo gira, o tempo passa e as oportunidades podem se perder no caminho. É triste, fato.


Mas se começamos a enxergar que os problemas vão continuar ali todo dia, mas que podemos tentar superá-los gradativamente, creio que tudo começa a andar com mais fluidez. No caso do filme, a vida foi passando, coisas boas e ruins aconteceram até que eles caírem na real. Como eu disse, acho que o importante é isso, o cair na real antes que o tempo passe demais. Precisamos aprender a simplificar a vida.

E voltando ao filme, apesar das críticas negativas e da deprê em alguns momentos, gostei bastante da história e dos atores. Ri, chorei e tive crise existencial pensando na vida. Gosto de filmes que fazem isso. E é por este motivo que vim aqui recomendá-lo. Acho que é uma boa opção para uma tarde de domingo.

E foi assim que eu fiquei no final do filme.

* A música do post está na trilha sonora do filme e ganhou uma versão super amor.

Imagens: TMDb, HitFix e Orange.

6 comentários:

  1. Sabe quando você lê uma coisa e essa coisa serve como uma luva para as mãos da nossa vida? Então.
    Não quero ser como este casal. Não quero ter que adiar mais uma vez meu casamento, pois os problemas sempre surgirão! E se estivermos juntos, seremos mais forte para superá-los.
    Adorei o texto Lu. Serve tanto pra gente, depois de tanta conversa sobre o assunto né?
    Como disse, que 2013 seja só alegrias! Pra todas nós!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Eu costumo gostar muito de filmes assim, então fiquei bem interessada em assistir. Vai para minha lista de filmes para ver nas férias, hehe.
    Gostei também do jeito como você fala sobre os filmes, gosto de quem não fala apenas sobre os detalhes técnicos do que assiste.

    ResponderExcluir
  3. Dica anotadérrima, porque é sua. E eu confio no seu bom gosto, óbvio.

    Me interessei pela história e concordo absolutamente com você. Problemas existirão, sempre. Se formos esperar um momento em que não os tenhamos para viver nossos projetos, simplesmente não viveremos.

    E essa sua reação com o fim me deixou curiosa. HAHAHAHA

    Beijão, Lulu.

    ResponderExcluir
  4. Amo dramédias. Ainda mais as que me fazem rir e refletir. E esse ator é muito bom! Ele faz parte do elenco de How I Met Your Mother ♥

    Como um amigo meu diz sempre: só não teremos mais problemas no dia em que estivermos mortos. Até lá... welcome problems!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Interessante. Ainda não vi o filme, mas me interessei muito e concordo com seu posicionamento, sempre haverá contratempos que irão contra o que foi planejado, o jeito é aprender a lidar e aproveitar as oportunidades que surgirem!

    Gostei muito daqui e voltarei!

    Beijos! :*

    ResponderExcluir
  6. Olá! Não assisti o filme, mas pelo que escreveu, talvez seja sobre aquela coisa que muita gente desaprendeu a fazer: tentar quando algo vale o que o coração sente...
    ...bom vir aqui! Anotei a dica! ;)
    bjs

    ResponderExcluir