Sobre a falsidade

13 de julho de 2011 //


Daí que esses dias (mais precisamente ontem) soube de uma pessoa que não era exatamente o que demonstrava ser e fiquei pensando sobre isso. Quantas pessoas a gente encontra na vida e que, "de repente", nos decepcionam por serem falsas? E digo falsa no quesito mentirosas mesmo. Já tive algumas experiências com "esse tipo de gente" e ao longo do tempo notei que, ao contrário do que pensava, não faço parte de uma minoria. Pelo contrário, boa parte das pessoas que conheço já passaram por algo assim, seja com namorados, amigos, etc e tal.

E daí que no meio dessa confusão toda de pensamentos, pensei também no papel da internet, já que hoje em dia amizades "virtuais" são mais do que comuns. Talvez seja intrínseco dos seres humanos o ato de confiar uns nos outros, não sei. Só sei que eu tenho a maldita mania de desconfiar de todo mundo. Desconfio de tudo. Mas, a partir do momento que uma pessoa rompe essa barreira, eu passo para o outro extremo e confio completamente. Eis um problema: como confiar em alguém que você nunca viu? Juro, não sei, mas eu confio.

Talvez algumas pessoas (tipo eu) tenham uma espécie de radar que sinaliza sinais de falsidade pela internet, porque olha, no caso dessa pessoa que falei no começo do texto, eu já desconfiava alguns anos atrás, quando nos conhecemos. Daí que também penso que esse radar só funciona na internet, por que já na vida real, é um completo fracasso. Alguém sabe porque tem gente que só consegue confiar em outras pessoas pela internet? Juro que como boa psicanalista que sou, ainda não descobri. Assim como ainda não descobri o que se passa na cabeça de uma criatura que cria um perfil falso, do sexo oposto e passa anos enganando outras pessoas, estabelecendo vínculos e se passando por alguém que nem existe. É tenso, eu sei. Mas também não posso julgar... enfim.

Só sei que confiança, como todos dizem, é uma coisinha frágil e complicada. Se for quebrada uma vez, já era, nunca volta a ser como antes.


18 comentários:

  1. Lu, triste isso né? Mas sou como você, desconfio de todo mundo! Talvez por já ter sido enganada TANTAS vezes, por todos os lados possíveis! Então é isso, confio até a página 2, com quase certeza que na págian 10, vou me decepcionar..mas às vezes a história tem final menos dramático! Bom é que pela internet vocÊ não vai ter de ficar encontrando o dito cujo por aí!

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Amo suas escritas amoR!

    E é um fato isso, acreditar em uma coisa e no final não ser tudo aquilo é ruim demais, Falsos e Verdadeiros é dificil saber e marcar quem é e quem não é.

    Te amo pequena!
    otimo seu texto! *-*~
    te amo!

    ResponderExcluir
  3. Primeiro, sobre o confiar. Bom, eu particularmente sou aquela que ainda acredita nas pessoas. Sou do tipo que já conhece acreditando e deixa pra que com o tempo descubra como são realmente. As vezes vejo isso como um defeito, mas as vezes me orgulho de poder ser assim. Agora, sobre as pessoas falsas que tem por ai e o decepcionar. Bom, sempre tem, e sempre irá existir! Temos sim é que olhar o osso lado e nunca nos deixar ser como essas pessoas. E sim, confiança é frágil, e se quebrada, bom.. ai você já sabe. Amei o texto e me identifiquei! Beijo!

    ResponderExcluir
  4. você conversou comigo ontem. MEDO. hihihi.

    Ok, mas falando sério... Não sei como me definir nesse quesito. Digo, quanto a ter um radar. eu tenho uma tendência maldita e absurda de começar a falar com qualquer um que simplesmente sorria pra mim e diga oi. Na internet, então... Sou o terror pros meus pais, rs. Embora algumas vezes os amigos 'virtuais' e os reais estejam no mesmo patamar pra mim, não importa o que aconteça: se algo me magoa ou se sou enganada, um adeus. Raras pessoas (talvez uma ou duas) foram as que eu consegui passar por cima, por assim dizer. Mas o resto? Qualquer mentira por menor que seja, qualquer ato que eu não teria com alguém é o suficiente pra me fazer ter outro ponto de vista sobre aquele ser. E, às vezes, pra acabar a "amizade" ali mesmo...

    ResponderExcluir
  5. e já dizia William Shakespeare
    "ser ou não ser, eis a questão"

    Lú. Tá lotado de gente falsa por aí. Do nosso lado. Na nossa frente. Atrás. E a gente vai se cercando desse tipo de gente. Tenho um bom discernimento quanto à essa palavrinha que soa gritante. "Falsidade". Eu sinto quando alguém é falso comigo. Sinto mesmo sem ver a cara da pessoa. Sinto e só. Não sei explicar como. Parece que tenho um radar. E olha que nunca me engano. Mas sei também quando alguém está sendo verdadeiro comigo. Lú temos que tomar cuidado. Pois o mundo está infestado de gente assim e isso ás vezes nos faz mal. Confiança a gente adquiri atráves dos atos, do olho no olho, da reciprocidade entre as pessoas. Pessoas verdadeiras são raras, eu sei. Mas existe sim. Acredite. Eu nem precisei ligar meu radar pra saber que a sua afeição é verdadeira e que sua amizade é carinho.

    Perfeito Lú

    ResponderExcluir
  6. Oi, Luciana,

    Estou tão enrolada, agora à tarde, que para espairecer vim dar uma olhada nas atualizações do Google Reader, e assim cheguei aqui, rsrs. Olha, a cada dia mais eu me vejo forçada a acreditar na frase de William Shakespeare, que diz: "Em 95% dos casos, amizade é apenas fingimento", o que é uma tremenda pena, não é verdade? Não há dia em que não me pergunte a razão das pessoas agirem com falsidade e secretos antagonismos. Por outro lado, me identifico com a Floberla Espanca: "Sou uma céptica que crê em tudo, uma desiludida cheia de ilusões", e assim a gente vai vivendo, rsrs.

    Beijoca

    ResponderExcluir
  7. Taí uma coisa que eu nunca entendo: o relacionamento pela internet. É incrível como a gente consegue perceber mentiras ou até quando, na verdade, a pessoa nem riu do outro lado do monitor, mas só digitou um 'hahaha'. Até "o modo como a pessoa tecla" com a gente conseguimos reparar que tá diferente quando a pessoa tá triste ou com problemas. Cadê Freud?

    Só sei que, no fim, é melhor sermos enganados "pela internet" do que pessoalmente, por uma pessoa que convive com a gente e divide nosso dia a dia. Isso sim, deve ser duro :/

    ResponderExcluir
  8. Se cara a cara já é difícil perceber isso, de longe então...xiiii!!!

    Eu vou na base da intuição, só. O que não é real não se firma. Fato.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Te contar que não é fácil MESMO voltar a confiar quando a pessoa já errou com você alguma vez.
    E eu sou do tipo difícil de fazer amigos. SÉRIO! Não parece, por que tenho uma personalidade muito 'deixa-de-frescura-e-vem-pra-cá' mas é verdade. Demoro MUITO a confiar nas pessoas. MUITO. Agora, também, quando confio!

    Enfim, né. Beijinhos!

    PS: Cê deveria abrir para nome/url comentar, né? Sou acostumada a usar esse método, rs.

    ResponderExcluir
  10. Oii, parabens pelo blog ;')

    adoreeei, muiiito liiiiiindo.

    quando tiver um tempinho vaia lá conhecer o meu.

    beeeijo, seguindo!

    ResponderExcluir
  11. Caramba.
    Onde eu estava que não conhecia esse blog ainda?

    Lu, amei seus textos!
    Sério, me identifiquei muito.
    Vai fazer parte dos meus blogs de cabeceira.

    Obs: Seremos colegas de profissão no futuro ^.^ Amo muito tudo isso também!

    beijos

    Jéssica Mara,
    @jessy_mara

    ResponderExcluir
  12. Mas isso é tão comum, tão comum de acontecer. Eu confio em tão pouca gente. Algumas pessoas tive certeza que de alguma forma eu podia estreitar os laços, deixar fazer parte de alguma forma da minha vida, como vc. Mas isso leva um tempo. O melhor é ter certeza que vc pode fazer isso, mas infelizmnte tem gente que consegue enganar, dissimular, e as vezes, a gente cai mesmo né?

    ResponderExcluir
  13. E se eu disser que confio mais em gente da internet do que em pessoas que vejo todos os dias/

    ResponderExcluir
  14. Vira e mexe nós nos deparamos com pessoas falsas, de todos os tipos e qualidade. Mas nem assim a gente consegue nos blindar disso. Sou da mesma opinião da Anna Vitória.

    ResponderExcluir
  15. Então, eu muito me orgulho do meu radar funcionar direitinho. Mas também só pra vida real. Quando conheço alguém, consigo dizer se é uma boa me relacionar com ela ou não. Meio que enxergo que vou ter problemas, sabe?
    Mas na internet isso muda. Nunca sei se as pessoas estão sendo verdadeiras e opto por confiar, mas muitas vezes já quebrei a cara, o que é uma droga!
    Enfim. Acho que com o passar do tempo a gente aprende a "selecionar" as pessoas.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Confiar é algo BEM tenso. Passei por uma coisa esses dias que só demonstrou como não posso confiar nas pessoas. Que preciso desconfiar, senão me fodo. É triste. O ser humano consegue ser deprimente. Principalmente as mulheres com sua inveja e putices. NOJO.
    Beijo, moça.

    ResponderExcluir
  17. Olá Luciana e ai como vai?
    Falsidade...por causa disso aprendi a confiar em quase ninguém.

    Adorei o post.
    alias,adorei o teu blog :)
    Curtir a pagina la no face também xD

    Beijos e tudo de bom
    ......................
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  18. Difícil dizer ou tentar explicar o exato por que de muitas pessoas agirem assim. Penso que algumas fazem por pura diversão. Pra romper limites e ultrapassar barreiras. E outras fazem por que são incapazes de aceitar a própria vida e a realidade em que vivem. Sei lá. Só sei que isso fere quem descobre de tal maneira, que passamos a desconfiar de tudo e de todos, e sabemos que isso não é nada legal. Faz um mal pra vida que, PQP! Meu texto de hoje se encaixa bem nesse seu post.

    Beijo!

    ResponderExcluir