Sem palavras

28 de outubro de 2010 //



Vezenquando, procuro palavras que demonstrem o que sinto, expressem meus gritos mudos e minhas raivas contidas, mas só encontro vazio. Vazio por que nenhuma delas serve pra dizer e nenhuma acerta o alvo. Não é só feliz, não é só triste, nem alegre, nem descontente... Não é nada disso. É algo que não inventaram nome ainda, não tem no dicionário e não dá para rotular.

Talvez a definição pudesse conter algo como sintomas. Mas aí pareceria doença e isso eu sei que também não é. É vontade de falar todos os palavrões conhecidos e mandar todo mundo pro inferno. Vontade de falar todas as verdades que guardo com medo de machucar as pessoas, de dizer que fulano é muito fresco e beltrano é muito doce e por isso gosto tanto. Vontade de procurar quem devo esquecer, de procurar os amigos que o tempo levou e de jogar em alguém tudo que sinto. Também é vontade de amar ainda mais, fazer sexo até não poder mais, falar bobeiras fofas de gente apaixonada, acordar ao teu lado todo santo dia e brincar de ter rotina de casal.

É uma confusão, talvez seja um estado de espírito. Será? Pode ser uma overdose de tédio ou de preguiça, assim como também pode ser uma vontade de sair porra louca curtindo a vida inteira que se descortina diante dos meus olhos, fazendo-os brilhar e me deixando com uma puta vontade de jogar tudo para o alto e fazer apenas o que eu quero, do jeito que eu quero. É apenas vontade de quietude, silêncio e barulho, tudo ao mesmo tempo.

De uns tempos pra cá, não sei o que me define e é por isso que as palavras fogem de mim. Elas fogem e eu fujo delas, não faço com que sejam minhas e uso as dos outros. É, ultimamente tenho sido uma ladra de palavras, roubando palavras dos outros e tomando-as como minhas em segredo. Apenas eu sei, guardo-as em mim e suspiro com elas. 

É tudo confusão e intensidade, eu sei. Se você não está entendendo, eu também não estou, não se preocupe. Sei apenas que todo esse caos tem duas faces, uma ruim e outra boa. Ando múltipla, confusa, rebelde, doce e inconstante, mais do que nunca.


Imagem: daqui.

9 comentários:

  1. Lu, cheguei em casa agora do trampo, moooorta, mas dei uma entradinha aqui pra te ler.

    e deixa eu dizer, que amo essa imagem, tenho ela guardadinha pra usar, ou não mais, rs.

    você escolhe sempre lindas imagens.

    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Imagina se as palavras não estivessem fugindo, hein?! Acalme-se, respire e inspire quantas vezes for necessário .. . são coisas dá vida!

    Um beijo,
    ,)

    ResponderExcluir
  3. Acaba de me descrever com tanta perfeição que fiquei alguns minutos olhando pra tela pensando..."eu poderia ter escrito isto!" Perfeito.

    Adorei por aqui em vim pra ficar!

    Beijos pra Ti

    ResponderExcluir
  4. diversas duvidass. Quando um pode ser entra na cabeça, é tão dificil de tirar >>

    ResponderExcluir
  5. as palavras que mais entendo são aquelas que você fala, não falar ou apenas guarda...

    Te Amo pequena,
    e quando chover vamos sair para dançar!

    ResponderExcluir
  6. sempre queremos mais, e sempre estamos a roubar emoções, sentimentos e palavras.. sorria, um dia terá uma boa coleção.

    Charlie B.

    ResponderExcluir
  7. Oh amiga, sabe que tenho medo de começar a entender e parar de sentir.
    Lindo lindo lindo teu texto, me vi.

    BeijOs

    ResponderExcluir
  8. o amor não tem explicação...como as melhores coisa da vida....

    http://guilg7.blogspot.com/

    vlw...

    ResponderExcluir