Carta para você

24 de outubro de 2010 //


"E eu esperei, esperei, esperei tanto tempo, nossa, como eu esperei. 
Acho que eu nunca esperei tanto nada em toda a minha vida."
(Tati Bernardi)

Você me pediu para esperar, me deu data e hora e disse que viria pontualmente. Acreditei e desde o começo esperei, esperei muito e cinco meses depois, pontualmente às 7h da manhã, seus olhos pousaram nos meus. Era setembro e verão, fazia um calor infernal e tudo saiu como o planejado. Tudo certo do início ao fim, incluindo também a data precisa da sua partida. Data, hora e local.

Você foi e mais uma vez prometeu voltar. Confiei, mas era estranho tentar manter a esperança quando o medo de você não voltar parecia muito maior do que a certeza de que você realmente voltaria a tempo de passarmos o natal juntos e fazermos planos para o ano novo. Eu quis ter a certeza de que você ligaria para mim em uma manhã de domingo dizendo que viria me ver logo à tarde para passarmos um tempo ocioso juntos, só você e eu, sem fazer nada de útil.

E eu quis te esperar no aeroporto com lágrimas nos olhos e aquela coisa toda de euteamoenãoaguentavamaisficarlongedevocê. Tudo bem assim, confuso e misturado. E eu esperei, esperamos. Esperei e guardei todos os planos ainda não realizados, todos os lugares que ainda não havíamos ido e todas as palavras que a distância não me deixou dizer do jeito certo, olhando nos seus olhos e vendo sua reação diante de mim.

Dois meses depois, você voltou e a espera chegou ao fim. Todos os planos saíram do futuro e vieram para o presente, realizando-se aos poucos e sem parar. As palavras foram e ainda são ditas, os lugares visitados e a vida à dois é vivida diariamente. As estações passam, mais um ano está quase no fim e eu continuo aqui.

Com você.


Essa carta "apareceu" depois que li mais uma das "Cartas de Carolina" (leia aqui) que a Mila escreveu e acabou comigo exatamente por falar de algo que bem conheço: a espera por alguém que amamos e está longe. Fiquei com ela em mente e deu nisso, escrevi, finalmente.


Imagem: daqui.

12 comentários:

  1. Eu também esperei! E a espera pode ser tão dolorosa!!!

    Bjs =*

    ResponderExcluir
  2. A espera é algo, sem dúvida difícil.

    ResponderExcluir
  3. Essa espera mata a gente aos pouquinhos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. doeu com muitas lagrimas,
    e é amor com muitos olhares estrelados.

    te amo! pequena!

    ResponderExcluir
  5. A dor da espera é realmente cruciante. Tem texto novo no Sub Mundos. Bjus.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Aim a espera só é boa quando ela acaba, vem aquela euforia feito um vulcão.

    BeijOs

    ResponderExcluir
  7. um dia vou chegar aqui e vou ler que tu adriel casaram e que esse tormento acabou!

    ResponderExcluir
  8. Eu costumo só escrever cartas para não mandar...
    deve ser por isso que não tenho esse prazer de receber uma de boas ou más notícias...

    bom texto

    ResponderExcluir
  9. Ah, nem me fale em distância... É meu pior pesadelo neste momento.
    Quem inventou isso, hein?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Poxa, doeu em mim rs

    acho que voce vai gostar do texto ''sobre quando ela voltou'' no meu blog.
    fala sobre ''sanar'' a saudade.
    rs
    beijão

    ResponderExcluir
  11. Esperei 3 anos e enfim ela está comigo

    ResponderExcluir