Urgência

23 de outubro de 2009 //
Imagem daqui.


"Preciso não dormir

Até se consumar
O tempo da gente.
Preciso conduzir
Um tempo de te amar,
Te amando devagar e urgentemente."
('Todo o Sentimento' - Chico Buarque)



Lasciva. Ela decide que, hoje, irá amá-lo de um jeito completamente diferente dos outros dias. Além da intensidade do seu próprio amor. Desejo. Acordou com aquele sorriso maroto, de criança prestes a fazer algo que os pais não deixam, virou-se para ele e, logo de cara, começou a beijá-lo levemente no rosto. Iria acordá-lo com a doçura de morangos maduros e a embriaguez da sensualidade.

"Bom dia, pequeno dorminhoco!", disse esboçando seu melhor sorriso, aquele só dele. Ele sorriu de volta e imediatamente, como quem consegue captar os pensamentos alheios através da telepatia, logo soube que ela queria algo mais. Ele também queria. Queriam consumir o tempo do seu amor com mais amor.

Em meio aos lençóis já repletos dos resíduos de amor da noite anterior, começaram a brincar como quem não liga se, lá fora, o mundo gira sem parar e tudo acontece independente deles. Nesse momento, eram completamente egoistas e o mundo não era mais do que ela e ele alí, um nos braços do outro. Ela o convidava com os olhos e ele sempre dizia que ela não precisava de palavras para falar. Era tudo estampado alí, nas duas noites dos seus olhos.

Eram somente amor. Ela mergulhou no corpo dele como quem mergulha no mar. Molhava-se no corpo-mar de suor salgado dele e lá ia dando vazão a todo o desejo que nela havia. Ele ia dedilhando todo o corpo dela como quem toca violão em busca da melodia perfeita. Beijavam-se e trocavam carícias e sussurros em meio ao misturar de tudo que sentiam. Como ela costumava dizer, fizeram amor gostoso.

Renderam-se ao prazer do corpo-coração e amaram-se com a urgência dos amantes que, apesar de terem todo o tempo, fazem de cada dia o último.



15 comentários:

  1. Por todos ultimos dias e noites de nossa vida...
    De todo jeito e maneira: Nosso Amor Lilás!

    Te Amo minha FloR!
    Beijos de morango!! hohoho! kkkkk

    TE AMO!

    ResponderExcluir
  2. Amar o amor urgente.

    Lu,

    Nunca vi tanta volúpia junta num texto teu, como nesse aqui. Você usou coisas lindas para fantasiar o amor. Ficou bonito, assim.

    Um beijo, bêibe.

    ResponderExcluir
  3. ai ai, venho aqui mesmo só suspirar e saber como anda esse amor doce.

    p.s.amo essa imagem, usei ela no post 'solitude'. ela diz tudo.

    Beijo grande Lu.

    ResponderExcluir
  4. É a urgência mais imprópria e deliciosa de satisfazer.
    Imagino como deve ter sido bom pra você escrever isso, eu adoro escrever sobre sexo, mesmo que implicitamente, ou deixando nas entrelinhas.

    Teve muito desejo nisso tudo.

    Beijos, Luciana!

    ResponderExcluir
  5. amo o jeito que fantasias as palavras, parecem serem doces sobre suas mãos

    ResponderExcluir
  6. "Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
    Com sabor de fruta mordida
    Nós na batida, no embalo da rede
    Matando a sede na saliva
    Ser teu pão, ser tua comida
    Todo amor que houver nessa vida
    E algum trocado pra dar garantia
    Que ser artista no nosso convívio
    Pelo inferno e céu de todo dia
    Pra poesia que a gente não vive
    Transformar o tédio em melodia
    Ser teu pão, ser tua comida
    Todo amor que houver nessa vida
    E algum veneno antimonotonia
    E se eu achar a tua fonte escondida
    Te alcanço em cheio, o mel e a ferida
    E o corpo inteiro como um furacão
    Boca, nuca, mão e a tua mente não
    Ser teu pão, ser tua comida
    Todo amor que houver nessa vida
    E algum remédio pra dar alegria"

    Eu li seu texto pensei nessa musica.
    E começou a tocar no Radio.
    E é isso, eu quero a sorte de um amor assim!

    Saudades sua!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Gostei.
    Você escreveu de um jeito à altura do amor do seu casal.
    Escrever com/sobre o sexo é uma coisa complicada de fazer, há de se escolher as palavras certas pra não cair no vulgar, no mal-gosto...e você acertou em todas as palavras.

    Parabéns!

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Texto interessantíssimo! Bjus.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. futura psicóloga me causa um certo desânimo...
    escreva! é melhor, e viva da psicologia.
    abç

    Gus

    ResponderExcluir
  10. escrevi sobre uma caixa vermelha e acabei encontrando essa caixa preta. E quando leio alguém que entende de lascívia, alguma coisa acontece no meu coração... coloquei nos meu favoritos. Você é linda, moça.

    ResponderExcluir
  11. Lindo demais esse texto (aliás como todos os outros, né?)
    Adorei.. muito intenso e ao mesmo tempo muito delicado.

    A propósito, essa musica do Chico é uma das minhas favoritas do repertório dele.

    Beijos,
    .Luana.

    ResponderExcluir
  12. O texto ficou lindo, a narrativa e toda essa inocência carregada de lascívia

    ResponderExcluir
  13. Amar é tão urgente quanto o próprio ato de respirar.

    E o texto é totalmente sem comentários (de tão lindo).
    ^^

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Sem dúvida, é bem interessante esse texto!

    Você escreve muito bem, moça! É de uma inteligência-emocional excelente! Parabéns!

    Jefferson Neto
    http://sakuxeio.blogspot.com/

    ResponderExcluir