Criança!

by - 22:18

Imagem: 'Children Of The Grave', por ~In-Loving-Memory



É tão fácil acreditar que foi trocado ao invés de admitir que me perdeu por culpa própria.

Um orgulho ferido machuca tanto que para se defender de tal dor, vários artifícios são utilizados, entre eles a inversão dos papéis. Claro que em um erro, a culpa pode ter sido de ambos, não podemos negar que pode acontecer dessa forma, mas por que fingir que admite e ainda sim ficar culpando o outro lado como se fosse o que errou mais?

As coisas foram tão lindas enquanto deram certo... e como davam certo. Realmente crianças juntas brincando de ser adultos. Foram crianças por tempo demais. Um dia a brincadeira chega ao fim.

Foi um fim triste, pois toda criança que se preze gosta de uma brincadeira e deseja que ela seja eterna. Quando ela termina, fica o gosto de quero mais, a tristeza pelo fim... e quando a brincadeira termina pela metade, fica o sentimento pesado de que ficou faltando o principal.

Depois da brincadeira as crianças voltam para casa, seguem suas vidas, mesmo que a tristeza da brincadeira ainda exista e machuque muito. As lembranças do que foi bom são mais fortes, isso consola. Mas a vida não para, fazer o quê?

Admitir o erro pode ser a primeira forma de começar a andar. Porém é tão difícil que muitos seguem pelo caminho mais fácil, o de jogar tudo nas mãos dos outros e fingir que admitiram. Claro, até eu faço isso! Acho até que todo mundo faz, mas chega uma hora que enxergamos (ou nos jogam isso na cara) e finalmente nos damos conta. O problema mora em nem depois disso mudar.

Enfim, chega uma hora que brincar de ser criança não dá mais!



- Luciana Brito -




"Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar
Que tudo era pra sempre, sem saber, que o pra sempre
Sempre acaba..."
('Por Enquanto' - Renato Russo)

Você também pode gostar

9 comentários

  1. Lux amada minha

    Crescer dói, mas é tão precioso. E sabe... no fundo no fundo... acredito que sempre tem um pedacinho de criança na gente.

    Você está crescendo e se precisar de apoio, conte comigo tá?!

    Continue seu caminho, sempre em frente.

    Te amu.

    ResponderExcluir
  2. Tem razão luh.
    Tive que admitir todos os meus erros para enfim começar a andar.
    Ótimo texto,
    bjoooo

    ResponderExcluir
  3. ...criança é um símbolo tão interessante, de várias faces e, na minha humilde opinião, cê abordou duas das mais representativas. Infância como o espaço da brincadeira, do fazer e fingir eternamente permitidos e, de certa maneira, da permissão pela não-responsabilidade, o que leva a essa vontade, muitas vezes, de "brincar de criança" indefinidamente. Talvez o ideal fosse conseguir aliar o frescor da infância à maturidade que vai se desenhando com os tombos da vida, até já não podermos mais cair, porque mesmo aprendendo a andar continuamos tropeçando né... adorei o texto

    bju do alex....

    ResponderExcluir
  4. Lu, amada minha.

    Crescer é inevitável, aprendizado. E Como a Cah escreveu lá no meu blog, todo fim é um recomeço. E recomeçar me dá ânimo.

    Te beijo.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu, saudades!!!

    aprender com os erros é uma maneira de tirar algo bom de uma situação dolorosa. Sempre há participação dos dois lados quando algo não dá certo, ainda que a participação de um seja apenas ter escolhido aquele outro... particularmente acho que sempre há a colaboração de ambos. Só que a gente só enxerga quando está pronto para enxergar, como vc disse. E no final, ainda que o outro reconheça, a nossa dor sempre é a pior de todas naquele momento...afinal, é a nossa experiência de dor, né?!
    Bjos curativos (criança pode brincar de coisas mágicas, tá? rs..)

    ResponderExcluir
  6. Oláa, passei por aki e ameii seu blog!
    Suas palavras foram exatas e perfeitas, e a essencia de cada uma delas conseguiu transcrever todo sentimento ínfimo e obscuro que existe dentro de você que precisava ser exposto.
    Comece a libertar a dor que te aprisiona,e libere o amor que há dentro de si que extravaza, mas se esconde.Enfim vc encontrará o caminho da felicidade!

    ResponderExcluir
  7. eu diria que errar e se arrepender e depois aprender com os erros é o primeiro passo pra conhecer até a nós mesmos, aprendemos e crescemos interiormente sempre mais quando esse tipo de coisa acontece.
    Ser criança, continuar sendo é bom sim, mas tem hora pra tudo!

    Como sempre, adoro as coisas que tu escreve.

    ResponderExcluir
  8. ... e de tudo fica um pouco. e do pouco a lembrança mais bonita. e do bonito o passo seguinte para o próximo encanto.

    beijos meus

    ^^

    ResponderExcluir
  9. O problema também é quando nos culpamos demais.
    Eu acho que não deveríamos nos prender a este negócio de culpa, simplismente deveriamos entender que acabou de qualquer maneira, e que nem tudo é pra sempre, e apartir dai sim começar a seguir em frente, de cabeça erguida.
    Beijos sabonetinha! *-*

    ResponderExcluir