Choro noturno

4 de março de 2009 //
Imagem: 'Bedtime Story', por ~negateven







Trancou-se no vão do quarto. Chorou por horas e horas em busca do alívio para sua dor e para seus pensamentos confusos e cortantes como navalha. Não conseguia parar e ao mesmo tempo se questionava o sentido de tudo o que estava acontecendo.



- Por que choro tanto se o alívio nunca vem?



Soluçava. Através de seus olhos castanhos era possível ver a tristeza que estava presa dentro dela. Eles vertiam lágrimas doloridas. Sentia um vazio. Sua máscara estava sendo quebrada e os pedaços caídos aos poucos revelavam sua fragilidade e a mentira da qual vive.



Noite escura. Para onde quer que se vire, há chuva por todos os lados. Altos trovões silenciam seus gritos e os relâmpagos dão o ar de sua graça enfeitando a cena completa. Aos poucos enxerga como realmente é. Cada navalha de pensamento corta um pouco de sua pele.



Atravessa o desconhecido que existe nela. Reconhecer-se é estranho. Admitir é complexo. A brincadeira de viver perdeu a graça e ela simplesmente caminha. Segue com passos mudos de uma reticência onde o incerto lhe espera, apesar de seu medo do previsível.



No silêncio noturno é vencida pelo cansaço. Adormece com lágrimas nos olhos... Outro dia vai começar.





- Luciana Brito -







"Quando você faz o seu melhor, mas não tem sucesso

Quando você tem o que quer, mas não o que precisa

Quando você se sente tão cansado, mas não consegue dormir

Preso ao contrário"

(‘Fix You’ – Coldplay)



15 comentários:

  1. Prisões mentais... Escapar das grades que ferem... Tem dias que o choro serve só para nos mostrar o quanto somos idiotas...

    ResponderExcluir
  2. Lu do u.u, minha poeta melancólica, identifico-me mto com teu jeito de escrever, ano passado tava nessa fase de mal do século.

    Bjm mô bem

    ResponderExcluir
  3. E agora me questiono.. Quantas vezes adormeci com com os olhos ensopado?!

    Com este texto vi que não estou sozinha nessa, pois outras pessoas também passam por isso.

    O problema é quando o dia seguinte parece que é apenas uma extensão da triste noite anterior.

    Outro texto que adorei!!!
    Beijos! =)

    ResponderExcluir
  4. ... caminhos para se ser. a descobrir.


    bjs

    ResponderExcluir
  5. "A tempestade que chega é da cor dos teus olhos castanhos..."

    [RR]

    Lu,

    Dá aqui um abraço forte.
    A gente se arruma, assim.

    Sorri, bonita!

    Beijos de saudades.

    ResponderExcluir
  6. ouch lu
    sempre fico pensando com teus textos, melancolicos...
    bjo pa tu

    ResponderExcluir
  7. que comece e com ele venha um sorriso.. ;)


    Beijos Lu

    ResponderExcluir
  8. ... é bem verdade. e há belezas tantas nesse olhar para o mundo. e cada tempo (cinza /azul/branco) exige o necessário para completar-se. e ouvir zeca em dias vários é sempre ótima escolha! adoro!

    obrigado!

    beijos, meus

    ResponderExcluir
  9. Moça, estou aqui retribuindo a visita e encontro um texto tão real,quem nunca sofreu por amor?

    Como uma amiga disse, qdo a gte se relacionada, acabamos nos apegando, querendo ou não, e por isso, acabamos sofrendo com a separação.

    Mas sempre depois do choro sempre existe uma nova oportunidade q esta à nossa frente, basta estamos abertos a ve-la.

    Bjs e voltarei mais vezes, espero q voltes tb ao meu espaço!

    ResponderExcluir
  10. Ai Lux
    Admitir é tão complexo quanto dificil, né?!

    Seus textos me fazem pensar. E eu adoro isso.

    BeijOO

    ResponderExcluir
  11. 'Reconhecer-se é estranho. Admitir é complexo'
    Mas não é impossível :)
    Baci!

    ResponderExcluir
  12. Oun minha linda, quanta melancolia. Vem, segura aqui minha mão, estendida na sua direção, vamos voar por aí?

    Te beijo gata. ;p

    ResponderExcluir
  13. Ah se vc vai voar com a Kah eu tbm quero ir!

    Ao infinito e além.

    ResponderExcluir
  14. Engraçado, escrevi um texto muitíssimo parecido.

    ResponderExcluir