Liberdade

by - 09:43

Imagem: cena do filme "Abril Despedaçado"

- A gente é que nem os boi, roda, roda e num sai do lugar.

Foi o que disse o Menino ao seu irmão Tonho. Todos os dias na mesma labuta sofrida, mesma vida seca, árida como o sertão, porém poética como versos que saem do fundo d'alma.

Um artista de circo, um espetáculo, um rapaz e seu pouco tempo de vida... Ah, seus 20 anos já lhe marcam suficiente, mas é o tempo que lhe resta que marca mais. Ele não quer viver como os bois. Ele quer voar, na sua humildade, quer conseguir viver.

E lá vai ele contra as tradições que lhe juram de morte.

- Ei Menino, que livro é esse? Tu nem sabe ler! (fala Tonho)

- Oxe, é um livro! Foi minha amiga sereia que me deu.

E Tonho senta-se perto de seu irmão, o Menino. Ele não tem nome de batismo, diz que lhe chamam de Menino e assim ele atende. Parece estranho, mas é sua identidade madura de criança que está por trás desse nome.

Ah o livro, o mar, a sereia.

A sereia que traz consigo não só as belezas e segredos do mar, mas também a imensidão límpida da liberdade. Apesar de ser sereia, ela cuspia fogo. Sim, ela era o fogo. Ela também sabia voar, e como voava bem.

O encontro do calor do sertão com a limpidez do mar. Um lindo encontro de liberdade, que toca o coração e revela verdades.

Tonho conseguiu.

- Agora Tonho, é você que vai voar!




*Baseado no filme "Abril Despedaçado", de Walter Salles.

Você também pode gostar

5 comentários

  1. Nossa que lindo, adorei tudo por aqui...um bj

    ResponderExcluir
  2. eu sempre agarro qnd vo comenta...por isso desisto ¬¬
    sou só eu que so burro ou tem mais alguem ?

    ResponderExcluir
  3. já te disse Lu adoro seus textos, tanto quanto te adoro e esse não foge a regra,beijos

    ResponderExcluir
  4. tbm adorei teu blog, eu as vzs nem comento por falta de tempo,
    mas adorei os textos!!
    ;)

    ResponderExcluir