Soneto sem inspiração

17 de novembro de 2008 //

Soneto sem inspiração

Verde caminho rumo ao nada
Fortes ventos lhe tocam o rosto
Calmo destino certo
Absoluta solidão

Solidão e forte silêncio
De dentro para dentro
Sente falta do que lhe inspira
Do ser de eterna luz que lhe ilumina

Versos soltos
Rimas incertas
Entediante produção

Poeta errante em seu destino
Longe do que lhe inspira
Iluminação de sua vida


- Luciana -

* Poema escrito em 14/11/08

0 comentários:

Postar um comentário