Desespero silencioso

13 de setembro de 2008 //

Parem!
Eu não agüento mais isso, será que não percebem?
Está doendo, dói muito e eu não consigo me livrar de tudo isso...
Parece que nunca vai terminar e a cada sessão parece que não vou suportar.

Maldita vida! Sim, maldita a vida que eu mesmo construo para mim e que está marcada por erros dos outros e pelos meus, principalmente pelos meus.

Idiota! Burra! Fraca!
Aprendi com meu erro e o arrependimento me tortura.


Isso dói. Meu corpo sangra e as lágrimas são as marcas do desespero que se apossa de mim.
Lâminas atravessam o corpo pesado e imóvel pelo cansaço e pensamentos pesados surgem como explosões... Eu não respiro, eu não respiro...

Ao redor tudo desaba e a esperança mesmo existindo não é capaz de manter algo intacto.

Tudo escuro, como a noite é escura e eu nunca havia reparado. Será só sua escuridão habitual ou eu estou delirando?


Não sinto meu corpo, lágrimas e sangue se misturam e a dor física não é perceptível, mesmo sentindo um peso enorme que me fixa ao chão frio. Há um desespero silencioso e eu só quero que isso pare... Pare por favor!


0 comentários:

Postar um comentário